FALTA DE RECURSOS PRECARIZA A ESTRUTURA DO PARQUE NACIONAL DE JERICOACOARA

24/07/2013 08:34

Jijoca. O Parque Nacional (Parna) de Jericoacoara precisa de mais investimentos para aperfeiçoar seu funcionamento. Com apenas quatro funcionários para uma área de 8.850 hectares, algumas estruturas herdadas da época da gestão do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) como a guarita da entrada do Parque na Praia do Preá e a sinalização na trilha para a praia de Jericoacoara estão aguardando novos investimentos para revitalização.


Segundo o chefe do Parque Nacional de Jericoacoara, Wagner Cardoso, as estruturas que foram colocadas na gestão anterior não estavam dentro do orçamento do Parque. Após a troca gestão do Ibama para o Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio), em 2007 até 2009, houve um período de adaptação e organização para a nova entidade e ainda não havia um orçamento. "A partir de 2009 pudemos começar a fazer solicitações e, apenas em 2011, o Parna Jeri teve feito o seu plano de manejo", ressaltou.

Atrasada

A criação atrasada do plano é uma das consequências do processo de instalação pelo qual o parque passou. Cardoso explica que a linha normal seria a efetivação de uma unidade de conservação com turismo após um estudo, seguido por um plano de manejo e abertura. "Jeri foi ao contrário. Nos anos 80 e 90 houve uma explosão turística com uma forte especulação imobiliária principalmente na década de 90 e, apenas em 2002, foi criada a Área de Proteção Ambiental (Apa) de Jericoacoara". Até 2007 a Vila de Jericoacoara fez parte da Apa, mas a partir daquele ano, passou a ser Distrito de Jijoca, que ficou responsável por sua administração, e a Apa que cerca a Vila se transformou em Parque Nacional. "Houve em 2007 uma troca de limites. Apesar do parque que circula a vila ser um dos menores do Brasil, é também um dos mais visitados, chegando a receber em média 500 a 600 mil turistas por ano".

Sobre as estruturas em situação precária, Cardoso lembra que elas foram implantadas um ano antes da administração do ICMBio ter início, sendo uma iniciativa necessária na gestão do Ibama, mas que não deu certo.

Para a implantação de sinalização ele explica que foi realizado um estudo em conjunto com a Universidade Federal do Ceará (UFC) em uma época de grande estiagem e vários pontos da trilha são alagadiços em período de chuvas. "Alguns pontos são lagoas que estavam secas na época do estudo e implantação, mas que ficaram cheias em 2009. A ação do tempo foi a principal causa de deterioração desses equipamentos", disse o chefe do Parque de Jericoacoara.

Outro ponto levantado por Cardoso é que nunca houve uma normatização do uso dessa trilha e os turistas acabaram por se acostumar a usar o que lhes fosse mais conveniente. "Nunca existiu uma norma da gestão anterior para essa trilha como obrigatória", afirmou.

Já a guarita aguarda a liberação de verba para a contratação de funcionários terceirizados que regulamentem a entrada e visitação no parque. Uma das possíveis soluções apontadas por Wagner seria a concessão para entidades privadas de algumas atividades como a regulamentação da entrada no Parque Nacional. "Essa seria uma das possíveis saídas e uma postura adotada pelo ICMBio em outros parques como o de Foz do Iguaçu", explicou.

A chegada do Aeroporto Internacional de Jericoacoara assim como os grandes eventos internacionais que serão sediados no país são motivo de apreensão. Cardoso alertou que é necessário um investimento em estrutura física e humana para atender esse aumento de demanda. "Hoje já somos poucos funcionários e a estrutura física ainda não é suficiente pois a situação institucional do ICMBio ainda não permitiu tais melhoras, mas elas são extremamente necessárias", salientou Cardoso.

Conscientização

Educação ambiental com palestras e visitas guiadas para alunos do ensino fundamental, médio e graduação (principalmente de turismo) são alguns dos trabalhos realizados dentro da área do Parque. Além disso, atividades de conscientização ambiental nas comunidades e associações do entorno do Parna de Jeri, um programa de rádio semanal, banners, panfletos e folders também são ações de conscientização na região.

Um roteiro de fiscalização preventiva foi implantado dentro do perímetro da unidade de conservação, que consiste em rondas diárias nas trilhas do parque nacional com o apoio de policiais militares da Companhia de Polícia Militar Ambiental (CPMA), que tem por objetivo coibir as infrações ambientais. Cardoso destaca que os principais problemas encontrados são o tráfego desordenado dentro da área de conservação que abre novas trilhas e prejudica o ecossistema, assim como o lixo jogado pelos visitantes.

Mais informações

Parque Nacional de Jericoacoara
Rua Oceano Atlântico s/n - Jijoca de Jericoacoara - CEP: 62.598-000
Telefone: (88) 3669-2140/ 3669-2345/ 9961-1420

Turismo aumenta 70% no mês de julho

Jijoca.
O turismo aumentou cerca de 70% no mês de julho na localidade do Preá no Município de Cruz, que tem parte da área situada no Parque Nacional de Jericoacoara, além da Praia do Preá que sediou uma competição nacional de kite surfe neste ano.

Segundo o Secretário de Turismo, Indústria e Comércio de Cruz, Agnaldo de Menezes, o município possui também em sua área cerca de um terço do Parque Nacional de Jericoacoara, além de dois terços da Lagoa do Paraíso. Com cerca de 600 mil turistas por ano passando pela cidade, conforme os dados do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur), o secretário explica que o número vem crescendo, e que existe a expectativa de aumentar ainda mais. Só neste mês, o movimento turístico cresceu cerca de 70% nos hotéis e estabelecimentos no Preá. Já em Jeri, ele aponta quase 100% de lotação na Vila de Pescadores.A mudança da comemoração do Dia do Pescador de 29 de junho para 21 de julho, no último domingo, foi uma das estratégias para uma maior movimentação, principalmente nas férias.Foi um dia com competições de duas baterias de regatas, vôlei e futebol. Houve também serviço social gratuito com cortes de cabelo, massagem, cursos de maquiagem e outros segmentos de beleza. Está sendo feito um trabalho mais ativo também com os guias e bugueiros da região que trabalham fazendo passeios através da trilha que vai da Praia do Preá até a Praia de Jericoacoara. "Nossos guias regulamentados estão com fardas azuis e amarelas, além de identificação. Cursos em parceria com o Sebrae também estão sendo ministrados no Preá, para Agente de Formação Turística e Inglês", afirma Menezes.

Ele ressalta ainda que todos os estudos acerca de turismo na região têm sido tratados com outros Municípios, principalmente Jijoca, onde se localiza a Praia de Jericoacoara. "A região inteira apresenta um potencial de investimento turístico, por isso temos que trabalhar sempre em conjunto para que possamos atuar com um turismo consciente".

Em Jeri, o período de alta temporada apenas começou. Segundo o Biólogo e Chefe do Parque Nacional de Jericoacoara, Wagner Cardoso, o segundo semestre é o mais movimentado na Vila e no Parque, onde ocorrem a maior parte das atrações turísticas. Ele explica que a Vila atrai turistas para o Parque, fazendo com que este seja um dos principais destinos turísticos do País. "Há também uma forte propaganda do Governo do Estado e outros órgãos, assim como de empresas que vendem pacotes".

Mesmo fora da alta temporada, ele afirma que Jericoacoara tem um fluxo fixo de visitantes durante o restante do ano. "Sempre há turistas em Jeri, não importa o mês", afirma Cardoso.

Leis de trânsito

Dentro da Vila é proibido estacionar veículo privado, sendo permitido apenas o tráfego, segundo os funcionários do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) Samuel Vandir e Elenice Freitas. Dentro dos limites da Vila, todas as leis de transito são válidas como o uso de capacetes e guiar nas mãos certas nas ruas.

A fiscalização dos órgãos de trânsito é frequente. No entanto, quinta, sexta, sábado e domingo são os dias em que várias equipes do Detran estão circulando mais ativamente dentro da Vila, devido ao aumento do fluxo de turistas no local.

Elenice Freitas explica que a medida proibitiva de estacionar dentro da Vila foi necessária devido ao tamanho do local, que não comportaria tantos carros sem ficar intransitável, trazendo riscos para os moradores e visitantes. "Parte da magia de Jeri é andar a pé, estar num local pitoresco. Por isso todos os carros devem estar estacionados na entrada da vila", completa.

FONTE: DN

Voltar

Contato

Conselho Comunitário de Jericoacoara
Rua principal,00
Jericoacoara - Ceará - Brasil
62598-973

5588 9914 8625

Conselho Comunitário de Jericoacoara © Todos os direitos reservados.

A Serviço da Comunidade - www.jeri.org.br - info@jeri.org.br