"JERI" BUSCA DISCIPLINAR TRÁFEGO DE VEÍCULOS

18/09/2012 08:44

 

Jijoca A vila de Jericoacoara é Área de Proteção Ambiental (APA) desde 1984. O local recebeu diversos investimentos que modificaram a rústica vila de pescadores. Com a instalação da energia elétrica em 1994, o destino já bastante procurado passou a contar com dois supermercados de médio porte, massagistas especializados, lavanderia e academia, além de outros serviços especializados.

Carros de visitantes não podem circular na vila. Área foi delimitada para disciplinar o fluxo de carros que, durante os feriados aumenta consideravelmente. Combate à poluição sonora também é feito FOTO: JÉSSYCA RODRIGUES


Para diminuir os danos, algumas medidas foram tomadas para complementar as leis da APA. De acordo com o secretário de Meio Ambiente do Município, José Osmar Fonteles, o turista que busca Jericoacoara como destino deve seguir algumas normas. "Algumas já são de domínio público, como não jogar lixo dentro do parque e respeitar as leis locais. Outras, como a proibição de subir com os carros nas dunas, foram medidas encontradas para diminuir o impacto no meio ambiente".

Ele explica que dentro da vila é proibido o tráfego de carros, exceto os que possuem permissão do Detran, como os carros de tração e buggys, moradores da na vila ou os que estão de passagem para Camocim. "Para os turistas que vêm em seus próprios carros, Jeri possui um estacionamento em sua entrada onde o automóvel irá ficar, sendo que o estacionamento possui o serviço de translado dentro da vila, que fica à disposição do visitante", explicou ele.

O secretário diz que a medida foi tomada em dezembro de 2010 com intuito de diminuir o fluxo constante de automóveis na área de 1km² que compreende o povoado. "A fiscalização é feita pelo Detran e monitorada pela Prefeitura, mas existe um pedido para que municipalize também a fiscalização". Segundo ele, o feriado de 7 de Setembro fez com que o estacionamento contabilizasse mais de 500 carros no estacionamento.

De acordo com os dados da Secretaria, o turismo local aumentou em 65% no primeiro semestre deste ano, se comparado ao ano passado. "Podemos afirmar que, há quase dois anos, não temos baixa temporada em Jericoacoara. E mais, podemos também falar que agora o visitante não se limita a Jericoacoara, mas também lota pousadas em Jijoca e movimenta o comércio da sede", disse o secretário. O som local deve ser ambiente, porém, em períodos mais movimentados, o secretario explica que há uma tolerância maior, desde que não incomode. Caso isso ocorra, o Batalhão da Polícia Militar Turística (PMTur) está preparado para ser acionado.

O Sargento do Batalhão, José Evaldo de Sousa Freitas, responsável por Jericoacoara, afirma que, nos últimos 30 dias, houve apenas uma chamada devido à poluição sonora. Quando isto ocorre, normalmente, são os moradores locais que extrapolam o limite permitido por lei. "Normalmente corrigimos as atitudes da própria população, lembrando que não devem denegrir o parque, pois o sustento deles depende do turismo de Jericoacoara", explica. Sobre o som alto, o sargento diz que é impossível que não haja vez ou outra alguém que ultrapasse o limite, pois principalmente na beira mar os turistas se reúnem para jantar, beber e ouvir música.

"Porém, é muito raro que o som incomode, pois os estabelecimentos mantêm apenas o som ambiente no volume definido por lei. Caso haja excessos, nós vamos até o local e conversamos com o responsável, que imediatamente se adequa aos padrões".

As medidas básicas da Polícia, de acordo com sargento, são rondas periódicas pela vila, além de policiais divididos em turnos de 8h. "Dividimos assim para que, em qualquer momento, tenhamos policiais disponíveis. Como somos o único destacamento na vila, além das nossas atividades voltadas para o policiamento turístico, buscamos também ajudar a população em pequenos desentendimentos, para manter a paz local".

De acordo com o empresário local, Edimilson Nonato Ferreira, que nasceu na vila, o som alto tem se tornado uma realidade constante na vila, chegando realmente a incomodar. "Alguns hóspedes se sentem incomodados e reclamam com os donos das pousadas. Mas não é sempre que isso acontece e temos fins de semana tranquilos, como esse".

A microempresária Juliana Tomás decidiu passar o fim de semana na praia. "Quando vim em alta temporada ou em feriados, sempre há uma festinha ou outra de reggae na praia, ou ainda de outros estilos. Já em fins de semana normais é calmaria".

Fonte: DN

Voltar

Contato

Conselho Comunitário de Jericoacoara
Rua principal,00
Jericoacoara - Ceará - Brasil
62598-973

5588 9914 8625

Conselho Comunitário de Jericoacoara © Todos os direitos reservados.

A Serviço da Comunidade - www.jeri.org.br - info@jeri.org.br