MAIS UMA PESSOA MORRE POR FALTA DE MEDICO EM JIJOCA DE JERICOACOARA

01/05/2015 15:00

No mês passado morreu um turista por falta de médico e desfibrilador. Agora um pescador nativo. Em pleno feriado não temos médico nem em Jeri e nem na sede do município. Isso é um descaso do poder público com os moradores e visitantes dessa bela praia.

Desde do começo do ano fizemos contato com o estado para saber quando será inaugurada UPA. Até o presente momento não recebemos uma resposta. Um equipamento público que já está pronto desde do ano passado e com certeza teria feito toda a diferença nesses momentos que os segundos são valiosos.

Queremos saber quantas pessoas vão ser vítimas antes da Prefeitura e Estado tomarem as devidas providências. Quantas?

Mais uma vez somos notícia em vários jornais pelo descaso em Jericoacoara.


 

Pescador morre antes de ser atendido em posto de saúde em Jijoca de Jericoacoara

Familiares contaram que não havia médicos no posto e a massagem cardíaca foi feita por enfermeiras. O corpo só será liberado às 18 horas, quando algum profissional chegar.

Um homem de 42 anos morreu na manhã desta sexta-feira, 1°, antes de ser atendido no posto de saúde localizado em Jijoca de Jericoacoara, a 294 km de Fortaleza. Francisco Agemeu André Pereira, que era pescador, foi levado de casa em uma ambulância, mas não resistiu. A família relatou que o posto estava sem médicos e ninguém soube informar as causas da morte. Em abril, um turista morreu na unidade.

O caso ocorreu por volta das 10 horas, quando Francisco André foi levado de ambulância para o posto. "Eu só soube quando minha neta chegou na minha casa dizendo que ele tinha caído, não estava falando. Não sabemos se ele se sentiu mal. Depois, avisaram que tinha morrido", contou o aposentado Francisco Albanito Pereira, 66.

De acordo com o aposentado, o filho foi pescar no início da manhã e ainda passou na casa dele, na rua Isabeli - entrada de Jericoacoara. "Amanheceu ele estava trabalhando. Veio aqui, tomou um café e pediu pra gente 'ajeitar' o almoço. Foi pra casa dele na rua das Dunas e não voltou", explicou Albanito.

O pai de André Pereira afirmou que a casa do filho é bem perto do posto de saúde, mas nenhum médico estava de plantão na unidade e a massagem cardíaca teria sido feita pelas enfermeiras. Além disso, a família ainda não conseguiu buscar o corpo, que será liberado por volta das 18 horas desta sexta-feira, 1°.

"Não tem médico então eles disseram que não podem liberar. Só umas 18 hora quando um médico chegar. As enfermeiras não sabem de nada, nem dizer de quê ele morreu. Uma pessoa que tava bem hoje de manhã", frisou o aposetado. André deixa mulher e seis filhos.

O POVO Online entrou em contato com a Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), que informou estar investigando o caso. A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Jericoacoara ainda não começou a realizar atendimentos e não tem prazo de inauguração. As ligações para a Secretaria da Saúde de Jijoca de Jericoacoara não foram atendidas.

Outro caso
No dia 8 de abril, um turista de Santa Catarina morreu no posto saúde de Jijoca de Jericoacoara. O paciente necessitava de um equipamento de ressurreição cardiopulmonar e não resistiu.

Na ocasião, Cláudio Eduardo Coninck ainda foi atendido por um proprietário de uma empresa privada de atendimento médico de urgência. O proprietário da empresa explicou, no entanto, que seriam necessários dois equipamentos: um monitor cardíaco e um desfibrilador.

Uma moradora da região, que não quis se identificar, contou que a Prefeitura agora probiu a empresa privada de auxiliar nos atendimentos. "As enfermeiras contaram que estavam proibidas de chamar o atendimento privado, sendo que não tinha ninguém capacitado no posto para fazer os procedimentos. Outros dois médicos, que trabalhavam aqui, foram embora porque não eram pagos", disse.

A fonte ainda reclamou do atraso para a inauguração da UPA de Jericoacoara, que poderia ter equipamentos necessários. "Não deixam a empresa ajudar então que pelo menos abram logo a UPA, que está pronta, mas parada. Eu tenho receio de isso [falta de atendimento] acontecer comigo", completou.

O POVO

 

Pescador morre em Posto que não tinha médico para atendimento

Por falta de médicos no Posto de Saúde de Jijoca de Jericoacoara morreu na manhã de hoje o pescador Francisco Agemeu André Pereira, de 42 anos. Segundo familiares, ele foi levado para a unidade de saúde por uma ambulância, mas não resistiu a espera.

O fato aconteceu por volta das 10 horas. Segundo familiares o pescador caiu e ficou sem conseguir falar. A família não sabe se  a razão da morte. O Pai de André, o aposentado Francisco Albanito Pereira, 66, o filho foi pescar no início da manhã e ainda passou na casa dele, na rua Isabeli – entrada de Jericoacoara. “Amanheceu ele estava trabalhando. Veio aqui, tomou um café e pediu pra gente ‘ajeitar’ o almoço. Foi pra casa dele na rua das Dunas e não voltou”, explicou Albanito.

Ele  afirmou que a casa do filho fica perto do posto de saúde, mas nenhum médico estava de plantão na unidade e a massagem cardíaca teria sido feita pelas enfermeiras. A Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), disse que vai investigar o caso. A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Jericoacoara ainda não começou a realizar atendimentos e não tem prazo de inauguração.

CEARÁ AGORA

Pescador morre após encontrar posto sem médico

Francisco Agemeu André Pereira, de 42 anos, foi levado ao posto de saúde de Jericoacoara após sofrer uma queda. A causa da morte ainda não foi esclarecida.

Um pescador de 42 anos morreu, na manhã desta sexta-feira (1º), ao esperar por atendimento médico num posto de saúde em Jericoacoara, distante 287 km de Fortaleza. Francisco Agemeu André Pereira foi levado ao local, que fica a cerca de 200 metros de sua residência, após cair de bruços enquanto estava em casa. 

De acordo com o pai dele, Francisco Albanito Ferreira, de 66 anos, ao chegar ao posto de saúde, os familiares depararam-se com a ausência de médicos. As enfermeiras presentes no local tentaram fazer a reanimação, até que uma ambulância teria chegado para levá-lo à sede do município de Jijoca de Jericoacoara. No caminho, contudo, Francisco Agemeu não resistiu. 

Francisco Albanito declarou que o filho havia procurado um médico em Jijoca há um mês, por conta de problemas de saúde relacionados ao consumo de bebidas alcoólicas. Desde então, entretanto, Agemeu teria parado de beber. 

A família ainda não sabe a causa exata da morte do pescador e aguarda a chegada de um médico ao posto de saúde de Jijoca de Jericoacoara, onde o corpo se encontra. O velório ocorrerá na casa de Francisco Albanito Ferreira, localizada próximo à entrada de Jericoacoara. 

Até o momento, a Secretaria de Saúde de Jijoca de Jericoacoara ainda não apresentou posicionamento a respeito da falta de médicos no posto de saúde.

DN

Voltar

Contato

Conselho Comunitário de Jericoacoara
Rua principal,00
Jericoacoara - Ceará - Brasil
62598-973

5588 9914 8625

Conselho Comunitário de Jericoacoara © Todos os direitos reservados.

A Serviço da Comunidade - www.jeri.org.br - info@jeri.org.br